CRÓNICA SOBRE O FESTIVAL EUROVISÃO DA CANÇÃO 2012 - POR JESSICA MENDES!


            Há quem me diga que eu estou sempre a criticar tudo e todos, pois bem, se me pedem a opinião, é a minha opinião que dou e não aquela que acho que vai agradar a toda a gente. Para aqueles que esperam mais uma opinião de uma euphorica é melhor não começarem a ler! Então começando pela vencedora, não tenho muito a dizer. Contra factos não há argumentos, era a preferida da grande parte dos eurofãs e levou o título para casa. Quanto a mim, não sou fã da música. Reconheço valor à voz/performace envolventes desta vitória mas nada mais. Podem chamar-me antiquada, mas dou muito valor a “instrumentos reais” e são raras as músicas deste género das quais gosto (mas existem algumas!). De qualquer modo parabéns à Suécia (e à Loreen) que tenho a certeza que nos vai oferecer um grande espetáculo no próximo ano.



            Falando do espetáculo em si, houve muitas promessas de uma grande organização e foi aquilo que se viu. O espetáculo de abertura da final foi desastroso, não achei nada de especial. O trabalho de câmaras da organização foi do piorio e tenho a certeza que muitas músicas foram prejudicadas à custa disso (como a Espanha). Outra coisa foi os problemas de som em algumas das músicas. É vergonhoso que isto continue a acontecer. O design era uma cópia do ano passado. Quanto aos apresentadores, nem vale a pena falar. Eu, sem experiência, fazia melhor que aqueles três, principalmente o Eldar que tinha o sorriso mais forçado que eu já vi em toda a história eurovisiva. Destaque positivo para as bandeiras no exterior da arena que davam um cenário muito bonito.



            Em relação às músicas, tivemos momentos excelentes, mas também momentos muito medíocres e os momentos medíocres continuaram na votação. Se há coisa que me irrita são os votos. Antigamente odiava ver os votos e mudava sempre de canal nessa altura, agora fico a vê-los não sei bem porquê. Porque é que continuam a votar nos vizinhos e não votam na melhor música? Se calhar as pessoas deviam começar a pensar assim, mas claro que é mais fácil votar no vizinho com esperança que o vizinho vote em nós. Aqueles 12 da Grécia para o Chipre, do Chipre para a Grécia, da Bielorrússia para a Rússia entre tantos e tantos outros são das coisas mais irritantes que existem. Certo que houve lugares merecidos como o da Grécia que manda uma “Helena Paparizou wannabe” à espera de um lugar no top 10, ou do Chipre (que a mim nada me surpreendeu), ou o da Espanha (que mesmo não gostando da musica, reconheço-lhe valor). Mas também é certo que houve músicas sobrevalorizadas começando pela do país anfitrião que não era assim tão boa e a da Bósnia que foi do mais chato que passou por todo o festival. Mas o prémio de músicas mais sobrevalorizadas da noite vai para … Albânia e Rússia. A sério, quinto lugar com uma gritaria daquelas? Acho que a minha mãe a gritar comigo consegue fazer mais sentido que aquela música. Acerca da Rússia só tenho a dizer que se fosse a minha avó a ir lá, ficava em último porque era por Portugal. Como é que é possível que júris que supostamente percebem de música darem pontos àquela espécie de música? Senti-me super envergonhada quando vi que Portugal deu 8 pontos à Rússia.



            Se por um lado há as músicas sobrevalorizadas, depois há aquelas que ficam no fundo da tabela. Os países nórdicos tiveram uma noite para esquecer (à exceção da Suécia). Dinamarca, Islândia e Noruega ficaram no fundo da tabela, não se percebe muito bem porquê. A Islândia era das favoritas à vitória e foi o que se viu. Tudo bem que a prestação desiludiu, mas não merecia aquele lugar, assim como a Dinamarca. Mas a maior injustiça da noite (e uma das maiores da história eurovisiva) caiu no último lugar obtido pela Noruega. É óbvio que nem toda a gente tem de gostar da música (até eu estou surpresa por gostar) mas foi uma das mais bem aceites pelo público em geral e ficou em último. Onde é que estão então os supostos fãs número um da música na hora de gastar 0.74 cêntimos para votar? É certo que o Tooji teve oscilações ao longo da música mas, como o próprio disse, foi a primeira vez que atuou num palco assim. Diga-se de passagem que, para primeira vez, a dançar e cantar assim, eu diria que ele já tem anos de experiência. Ficar em último no próprio dia de anos, pobre rapaz!


            Outra das injustiças da noite foi para o Reino Unido. O Reino Unido é sempre aquele país que luta pelo último lugar, mas se isso se justifica em alguns anos, este não é o caso. A atuação foi linda e o senhor canta que se farta. Não admira que eles queiram desistir do festival.





            Quanto à nossa música, acho que era muito boa e a voz da Filipa também, mas a atuação foi super esquecível. Pode ser que assim aprendam a mandar algo diferente. Todos os anos mandamos baladas com grandes vozes, mas já se viu que isso não resulta (se a Senhora do Mar não resultou, nenhuma vai resultar). A RTP até tentou fazer algo diferente, mas não resultou. A ideia dos castings foi boa (e diga-se de passagem, muito profissional na maneira como foi executada), mas depois faltaram as músicas. Ponto positivo para o Pedro Granger que foi muito profissional nos comentários e aprendeu muito bem os nomes dos artistas.



            Acabo este comentário com um agradecimento à Sérvia que voltou a mandar um grande senhor da música: Zeljko Joksimovic. Tenho a dizer que, para mim, tinha ganho a Sérvia (mas não tendo ganho, merecia o segundo lugar). De qualquer dos modos, foram os melhores três minutos que já passei em frente à televisão.

Imagens: Google/Vídeos: Youtube








31/05/2012

AUTOR:

6 comentários:

  1. grande texto de opinião, mas para mim as duas musicas que estavam a lutar para a vitória foram a suecia e o chipre...

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Não querendo ser mau mas já o sendo, se o concorrente da Noruega foi à procura de uma prenda de aniversário foi ao local errado. Eu até tive pena da Bulgária ter ficado de fora em detrimento desta. E sim, o lugar onde ficou a Albânia foi injusto pois acho que devia ter ficado mais acima. A cronista ficou com vergonha de Portugal ter dado 8 pontos à Rússia e eu fiquei com vergonha não Portugal não ter dado nenhum à Albânia. A canção da Albânia era lindíssima e cantada com sentimento. Mas numa coisa eu concordo: a canção da servia era muito bonita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo a 100%.

      Eliminar
    2. Já somos 3...podia e devia ser "Eurovision Song Contest Zagreb 2013"

      Eliminar
  4. A única coisa que concordo desta crónica é a parte da posição obtida pela Rússia... A Albânia ficou muito bem? Quinto lugar é o minimo que a brilhante actuação merecia... Uma crónica não é mais que uma opinião pessoal, mas não concordo com 90% do que foi escrito!

    P.S: Sim, os apresentadores eram no minimo banais, concordo também!

    ResponderEliminar


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.