Eurofestival em Histórias - Quarto Texto


À semelhança do que aconteceu em 1969, em 1991 verificou-se um empate no primeiro lugar, já que Suécia e França terminaram com uma pontuação de 146 pontos. No entanto, para resolver os empates que pudessem surgir e evitar mais vitórias a quadriplicar, em 1970 foi criada uma regra de desempate. Esta regra era simples: em caso de empate, o país vencedor seria aquele que recebesse mais vezes os 12 pontos. Em 1991, os dois países receberam os 12 pontos o mesmo número de vezes, e então o país vencedor foi o que recebeu mais vezes os 10 pontos. A Suécia foi assim consagrada vencedora, já que tinha recebido os 10 pontos cinco vezes, enquanto a França tinha recebido apenas duas vezes. No entanto, hoje em dia a Suécia não teria sido vencedora, já que actualmente o país vencedor é aquele que é votado por mais países. A França foi votada por dezoito países, ao passo que a Suécia foi votado por dezassete. Assim sendo, aos olhos das regras de desempate actuais, a França seria o país vencedor.





A Irlanda é, actualmente, o país com mais vitórias no Festival Eurovisão da Canção. Apesar de os resultados mais recentes não terem sido muito favoráveis para o país, já que este ano a Irlanda nem esteve na final do concurso, a verdade é que o país teve os seus anos de ouro, o que lhe conferiu o título de país com mais vitórias. A primeira vitória da Irlanda foi em 1970, ganhando novamente em 1980 e 1987. Mas foi nos anos 90 que a Irlanda foi rainha, ao arrecadar quatro vitórias, nomeadamente em 1992, 1993, 1994 e 1996. Para além destes brilhantes resultados, foi ainda o primeiro e único país a conseguir três vitórias consecutivas. É ainda de realçar que até 2000 o país nunca tinha ficado classificado abaixo do 20º lugar. Infelizmente, a Eurovisão não tem sorrido para a Irlanda, mas este continua a ser o país que provavelmente mais fez história no festival.


Se no início do festival o aspecto visual tinha uma importância irrelevante, hoje em dia o que acontece é exactamente o contrário. Uma cara bonita faz milagres, um vestido torna uma actuação mais brilhante ou um fato de gala faz os olhos saltarem das órbitas. E foi no âmbito de avaliar as roupas, neste caso, as piores, que foi criado o Barbara Dex Award, em 1993. O prémio recebeu este nome quando Barbara Dex, representante belga em 1993, se apresentou com um vestido que foi, digamos, escolhido por alguém com muito pouco bom gosto. Apesar de ser um prémio que nada acrescenta ao festival, a moda pegou, e todos os anos os fãs escolhem o representante mais mal vestido. Digamos que é o preço a se pagar por não se ter espelhos em casa. Portugal pode nunca ter ganho o festival, mas já conta com um Barbara Dex Award, conseguido em 2006 pelas Nonstop.


Sim, já falamos aqui de como a Irlanda é a rainha da Eurovisão. No entanto, não é só de vitórias que se faz este país, que inúmeras vezes nos provou o seu talento. A ocasião mais sonante foi provavelmente em 1994, com a apresentação de um espectáculo de música e dança tradicional irlandesa, conhecido como riverdance. A apresentação surgiu no interval act e teve a duração de sete minutos. Michael Flatley e Jean Butler, campeões de dança, fizeram parte do espectáculo, bem como a Orquestra de Concertos da RTÉ e o grupo coral céltico Anúna. Apesar de este ter sido um festival realizado com baixo orçamento, teve um dos interval act mais bem sucedidos de sempre. O espectáculo recebeu uma ovação de pé e mais tarde a BBC encomendou uma repetição do acto para o Real Variety Show de 1994.



Curiosamente, vinte anos depois, ou seja, este ano, o riverdance esteve de novo no palco eurovisivo. Os Can-Linn, grupo musical irlandês, presentearam todos os espectadores com uma performance de dança tradicional irlandesa mas infelizmente não se qualificaram para a final.
 


Corria o ano de 1996 quando Lúcia Moniz venceu o Festival da Canção com a sua música “O meu coração não tem cor”. Devido ao grande número de países a concurso, os vinte e nove países concorrentes tiveram que passar por uma semi-final, da qual vinte e dois passariam à final. Lúcia Moniz ficou no 18º lugar, com 32 pontos, o que foi suficiente para ditar a passagem à final. No entanto, e face ao resultado obtido na semi-final, não era de todo previsível o que acabou por acontecer na final. Com um total de 92 pontos, Lúcia Moniz conseguiu o 6º lugar da tabela classificativa e o melhor resultado para Portugal até hoje. É um marco para a história de Portugal na Eurovisão e para os fãs portugueses.



Fontes: eurovision.tv; en.wikipedia/ Imagem: Google /Vídeos: Youtube
22/10/2014


Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.